sexta-feira, 11 de novembro de 2011

"A História da Papoila "


A História da Papoila
de Luísa Ducla Soares
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 48
Editor: Soregra

Sinopse
A História da Papoila foi o primeiro conto infantil publicado por Luísa Ducla Soares e logo lhe pretenderam atribuir o Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho que a autora recusou, por razões políticas. Não queria aceitar distinções de um governo que não deixava os autores exprimirem-se livremente.
Esta é a historia de uma sementinha de papoila levada pelo vento, que vai ter a uma grande cidade...

Este livro, com outra “roupagem”, foi editado em 1972. Chamou a atenção de quem sabia de literatura infantil. No ano seguinte foi-lhe atribuído o prémio “Maria Amália Vaz de Carvalho”, o qual a autora recusou. E isto devido ao facto de essa atribuição ser dada pelo Secretariado Nacional de Informação, entidade que também exercia a função de censura no nosso país… Daí a necessidade de coerência que Luísa Ducla Soares sentiu e a levou a esta posição.

Passadas mais de 80 obras, foi reeditado pela SOREGRAS. Esta nova edição é acompanhada por ilustrações muito coloridas – de Sandra Abafa - que levam qualquer criança a voar no imaginário, para além das palavras que a autora lhe propõe, numa simbiose perfeita que a mim, adulta, me deixou perfeitamente deliciada! Nele se conta a história de uma sementinha de papoila levada pelo vento, que vai ter a uma grande cidade...



Luísa Ducla Soares é licenciada em Filologia Germânica. Iniciou a sua actividade profissional como tradutora. Foi colaboradora de diversos jornais e revistas, adjunta do Gabinete do Ministro da Educação, trabalhou na Biblioteca Nacional onde iniciou a sua actividade realizando uma bibliografia de literatura para crianças e jovens em Portugal.

Escreveu guiões televisivos e preparou diversos sites de Internet. Vários poemas seus foram musicados, tendo sido editado em 1999 um CD com letras exclusivamente de sua autoria musicados por Susana Ralha. Participou, ainda, na revista didáctica Rua Sésamo (1990-1995). A UNICEF e a OIKOS organizaram, em 1990, uma maleta pedagógica baseada no conto “Meninos de Todas as Cores”, de sua autoria, como apoio ao projecto escolar e exposição “Um Mundo de Crianças”.

Recusou o primeiro prémio mas depois disso recebeu o Prémio Calouste Gulbenkian para o melhor livro de literatura para a infância do biénio 1984- 85 por 6 Histórias de Encantar. Mais tarde veio a ser galardoada, em 1995, com o Grande Prémio Calouste Gulbenkian pelo conjunto da sua obra. Em 2004 foi seleccionada como candidata portuguesa ao prémio Hans Christian Andersen, do IBBY (International Board on Books for Young People), geralmente considerado o Prémio Nobel da Literatura para a Infância.



video

Sem comentários:

Enviar um comentário