sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

"AS cinco linguagens do amor das crianças"


As Cinco Linguagens do Amor das Crianças
Descubra a principal linguagem do amor do seu filho
de Ross Campbell, Gary Chapman
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 250
Editor: SmartBook

Sinopse:
Cada criança, como qualquer adulto, exprime e recebe melhor o amor através de um dos cinco diferentes estilos de comunicação. Tal verdade pode virar-se contra os pais que falam linguagens diferentes dos seus filhos. Contudo, quando devidamente preparados, as mães e os pais podem utilizar esta informação para os ajudar a satisfazer as necessidades emocionais mais profundas dos seus filhos.

Descubra a principal linguagem do amor do seu filho:
Tempo de Qualidade
Palavras de Apreço
Presentes
Actos de Servir
Contacto físico

E aprenda o que pode fazer para transmitir de forma eficaz sentimentos de respeito, afecto e compromisso incondicionais que têm eco na alma do seu filho através de As Cinco Linguagens do Amor das Crianças.

Sobre a Obra:
A primeira linguagem é aquela que aprendemos com os nossos familiares e amigos durante a infância. Crianças que não se sentem amadas desenvolvem uma linguagem distorcida e para se tornarem boas comunicadoras terão um pouco mais de dificuldades, porque têm que limpar crenças e emoções conflituantes, ao passo que crianças que se sentem amadas, têm uma primeira linguagem mais segura e saudável.
Psicólogos concluíram que sentir-se amado é a principal necessidade do ser humano. Dr. Cross Campbell, especialista em psicologia infantil, diz que diversos problemas de comportamento de uma criança, adolescente ou adulto provêm do seu "depósito emocional" se encontrar vazio.
Exemplo: muitos pais providenciam tudo aos seus filhos, em termos materiais, mas não percebem a enorme carência emocional que pode existir neles; então, quando essa criança cresce e fica adulta, começa a projetar suas carências nos relacionamentos (paixões, casamento) que temporariamente suprem essa necessidade.

LINGUAGEM DE AMOR - Palavras de Apreço
Palavras de Apreço são palavras de elogio, incentivo e encorajamento. Algumas pessoas se sentem amadas quando as ouvem. As crianças também. Podemos dizer que fica mais fácil identificar na criança a Linguagem de Amor dela a partir dos 5 ou 6 anos de idade. Ela gosta de mostrar o que fez ou como está vestida para receber um incentivo ou elogio. Ela gosta de ouvir: Que desenho lindo! Como estás bonita! Que menino forte! Como pulas alto!
Uma criança em que a sua principal linguagem do amor é “Palavra de Apreço” e ouve dos seus pais palavras que a humilham, ela como todas as outras crianças não se sentirá amada, mas para ela o peso dessas palavras será muito maior. Palavras como: Tu és feia! Tu nunca serás nada! Tu és uma menina preguiçosa e lenta! Tu és gorda! São frases pejorativas que não levam a lugar nenhum! As palavras utilizadas de forma negativa servem para que a criança se sinta rejeitada, menosprezada, desaprovada e sinta a indiferença.
As Palavras de apreço, servem para alcançar o coração da criança com o intuito dela se sentir amada. Se você tem um filho(a) com palavras de apreço não perca tempo e aproveite as oportunidades para dizer o quanto o ama, que está feliz por tê-lo por perto e elogie situações que ele faz que lhe agrade e que muitas vezes passam despercebidas, porque assim ele se sentirá motivado em continuar a fazê-las! Afinal quem é que não gosta de um elogio?

LINGUAGEM DE AMOR – Presentes
Quem não gosta de ganhar presentes? Como diz o autor Dr. Gary Champan : "Sou formado em antropologia, o estudo das culturas. Até hoje, ninguém encontrou uma cultura em que presentear não seja uma expressão de amor."
Um presente diz: "Essa pessoa estava pensando em mim. Olha o que ela comprou para mim".
A criança que tem a Linguagem do amor “Presentes”, não se importa com o valor do presente, mas sim, por se terem lembrado dela. É aquela criança que dá valor ao embrulho e o abre devagarinho porque o próprio embrulho para ela já é um presente. Conseguimos ver nas crianças esta linguagem do amor, quando elas com frequência fazem desenhos para oferecer como presente, aparecem com uma flor para nos oferecer ou criam carrinhos com rolo de papelão e botões para oferecer como presentinho.

LINGUAGEM DE AMOR - Actos de Servir
Para alguns adultos, fazer algo por eles é uma profunda expressão de amor. Preparar as suas refeições, lavar a loiça, aspirar, lavar e passar a roupa, limpar o wc, visitá-los quando estão doentes – todas estas tarefas são “Atos de servir”.
Se o seu filho(a) tem como principal linguagem do amor “Atos de Servir”, certamente ficará muito feliz se o ajudar na realização dos TPC. Não é fazer os trabalhos de casa por ele, mas sim, sentar-se ao seu lado e ajudá-lo, conferir os trabalhos que esta a fazer e perguntar-lhe se precisa de ajuda ou de alguma explicação.

LINGUAGEM DE AMOR - Tempo de Qualidade
Todo ser humano precisa de tempo dedicado exclusivamente a si mesmo. Com as crianças em que a sua principal linguagem do amor é “tempo de qualidade” não é diferente, pode ser 5 ou 15 minutos diários, mas que sejam minutos dedicados a 100%. Prestar total atenção às palavras do seu filho, olhar para ele olhos nos olhos, ouvi-lo e conversar com ele. Desligar a TV, colocar o livro de lado, deixar o jantar para fazer mais tarde… E, tirar minutos de qualidade com o seu filho, brincar com ele, sem estar a pensar noutras tarefas. Para estas crianças é muito importante que os pais realmente lhes dediquem minutos de atenção a 100%, ou seja, com muita qualidade.

LINGUAGEM DE AMOR – Contacto físico
De acordo com várias pesquisas, bebes tocados com afeto são emocionalmente mais saudáveis do que bebes privados desse toque. O mesmo se aplica a todos nós. Um aperto de mão, um abraço, uma palmadinha nas costas enche o depósito emocional de muitas pessoas solitárias. A criança que tem como sua principal linguagem do amor o “contato físico”, quando reencontra, no final do dia, os seus progenitores não vai querer simplesmente um beijinho, mas sim um grande abraço apertadinho. Estas crianças adoram festinhas na cabeça, nas costinhas, andam sempre aos abracinhos e aos beijinhos. Uma palmadinha dada no momento certo, como muitos defendem, não faz mal a ninguém. Mas, essa mesma palmadinha, dada a uma criança em que a sua principal linguagem é o “contacto físico” pode provocar danos muito graves, ou seja, muita raiva e frustração.

Sobre os Autores:

Gary Chapman
Desde a década 1970, o dr. Gary Chapman vem investindo no estudo de como potencializar o mais nobre dos sentimentos em relacionamentos afetivos. Autor do celebrado best-seller As cinco linguagens do amor, traduzido para 32 idiomas, Chapman bate na seguinte tecla: "o amor não depende exclusivamente das emoções. Amor é o que você faz e diz, não apenas o que você sente".

Há décadas o dr. Chapman viaja pelo mundo desafiando casais a buscar saúde emocional para seus casamentos. Seu primeiro livro Toward a growing marriage [Rumo a um casamento maduro], de 1979, foi baseado em um curso que ele ministrou a casais com os quais trabalhava em sessões de aconselhamento. O livro virou um grande sucesso e projetou Chapman como conselheiro familiar.

Desde 1979, "Doutor Casamento" já escreveu mais de 30 livros, todos sobre relacionamento afetivo, o que faz de Chapman um dos maiores autores mundiais no gênero. Prova da atualidade e perenidade dos conceitos criados por ele foi a publicação do livro As cinco linguagens do amor. Lançado em 1992, ainda hoje aparece na lista dos mais vendidos do jornal The New York Times.


Ross Campbell

M.D. (Mestre de Divindade) é psiquiatra e atende adultos, adolescentes e crianças. Ross é também um autor e palestrante renomado na área de relacionamento entre pais e filhos. Fundador e ex-presidente do Southeastern Counseling Center em Chattanooga, Tennessee, o Dr. Campbell é também professor de pediatria e psiquiatria clínica da Faculdade de Medicina do Tennessee. Ele e sua esposa Pat têm quatro filhos adultos e um neto.

Opinião:
Contrariando a ideia de que o amor tem linguagem única e universal, este livro vem demonstrar que as pessoas sejam adultas ou crianças, tem diferentes maneiras de amar e serem amadas. Cada um a seu modo, fala uma linguagem diferente para expressar o que sente pelas outras pessoas.
Um livro com uma abordagem psicológica bem interessante, que é de uma utilidade brutal para lidar com pessoas, sejam filhos ou outras pessoas próximas.
Este livro é, sem dúvida, um ótimo presente a qualquer pessoa que tenha filhos. Altamente recomendável,

Classificação: 6/7 Excelente



video

Sem comentários:

Enviar um comentário